Connect with us

Notícias

Flamengo: A era de ouro com Zico

publicado

em

O Clube de Regatas do Flamengo é uma instituição com uma história rica e repleta de grandes momentos. Dentre os períodos mais brilhantes do clube, destaca-se a “Era de Ouro”, liderada pelo inigualável Zico. Neste artigo, exploraremos essa época memorável do Flamengo e o impacto que Zico teve no clube e no futebol brasileiro.

Ascensão de Zico no Flamengo

Arthur Antunes Coimbra, mais conhecido como Zico, é considerado um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro. Sua trajetória no Flamengo começou na década de 1970, quando ainda era um jovem talentoso. Ao longo dos anos, Zico se desenvolveu como jogador e rapidamente se tornou a estrela do clube.

Conquistas Inesquecíveis

A “Era de Ouro” do Flamengo com Zico foi marcada por conquistas inesquecíveis. Sob o comando de Zico em campo e treinado por grandes nomes como Cláudio Coutinho e Paulo César Carpegiani, o Flamengo alcançou vitórias memoráveis, incluindo os Campeonatos Brasileiros de 1980 e 1982.

A Libertadores e o Mundial de Clubes

Um dos momentos mais marcantes durante a “Era de Ouro” foi a conquista da Copa Libertadores da América em 1981. O Flamengo, com Zico como seu líder em campo, venceu o torneio continental de forma heroica, chegando à final e derrotando o Cobreloa do Chile.

Posteriormente, no mesmo ano, o Flamengo escreveu seu nome na história ao conquistar o Mundial de Clubes da FIFA, derrotando o Liverpool na grande final. Essa vitória épica rendeu ao Flamengo o título de campeão mundial, um feito único para um clube brasileiro na época.

O Legado de Zico

Além das conquistas em campo, o legado de Zico no Flamengo também está enraizado na forma como ele personificava o futebol-arte brasileiro. Seus dribles, passes precisos e sua maestria em campo encantavam a torcida e os adversários. Zico era sinônimo de habilidade e genialidade.

O Impacto Fora dos Gramados

Além de suas habilidades no campo, Zico também se destacou fora dele. Sua liderança, comprometimento e amor pelo clube inspiravam seus companheiros de equipe e os torcedores do Flamengo. Mesmo após sua saída do clube, Zico continuou sendo uma figura influente e respeitada no mundo do futebol.

A Despedida e o Retorno Triunfal

Apesar de ter deixado o Flamengo em 1983 para atuar em clubes do exterior, o amor de Zico pelo Mengão nunca se apagou. Em 1985, o ídolo retornou ao clube que tanto ama e continuou a brilhar com sua genialidade em campo. Durante esse retorno, Zico ainda conquistou mais títulos e adicionou ainda mais glórias à sua história no Flamengo.

O Fim de uma Era

A “Era de Ouro” com Zico no Flamengo teve seu fim em 1989, quando o craque decidiu encerrar sua carreira como jogador. A despedida emocionou a torcida rubro-negra, que lotou o Maracanã para aplaudir e agradecer ao ídolo por tudo que ele havia feito pelo clube.

Zico, o Eterno Ídolo

Após sua aposentadoria, Zico seguiu sua carreira como treinador e também teve passagens marcantes em outras equipes brasileiras e internacionais. Porém, mesmo fora dos gramados, ele nunca deixou de ser o eterno ídolo do Flamengo. Sua presença no clube continuou a ser sentida através de sua dedicação e amor à instituição.

Homenagens e Reconhecimentos

Em 2011, o Flamengo homenageou Zico ao inaugurar uma estátua em sua honra no estádio do Maracanã. A estátua eterniza o ídolo em um dos templos sagrados do futebol mundial e é um reconhecimento à sua importância para o clube e para a história do esporte.

Conclusão

A “Era de Ouro” com Zico no Flamengo foi um capítulo especial na história do clube. O craque não só brilhou nos gramados, conquistando títulos e encantando torcedores com seu futebol ofensivo, como também se tornou um ídolo eterno e uma lenda viva do futebol brasileiro.

Zico deixou um legado indelével no Flamengo, e sua influência no clube continua presente até os dias de hoje. Seu amor, dedicação e paixão pela camisa rubro-negra fizeram dele uma figura única, não só para os torcedores do Flamengo, mas para todos os amantes do futebol. O “Galinho de Quintino” sempre será lembrado como o jogador que encantou o mundo com seu futebol e que eternizou seu nome na história do Flamengo como um dos maiores ídolos de todos os tempos.

Continue lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques

Supremo Tribunal Federal nega recurso do Flamengo em caso da Taça das Bolinhas

publicado

em

por

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal confirmou que o Sport Clube Recife é o único campeão brasileiro de futebol de 1987. Por unanimidade, o colegiado negou recurso apresentado pelo Clube de Regatas Flamengo contra a decisão do ministro Dias Toffoli que manteve o entendimento do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

O tribunal estadual havia rejeitado o pedido do clube carioca para que fosse reconhecido como vencedor da Taça das Bolinhas, conferida ao clube que primeiro conquistasse o campeonato por três vezes consecutivas ou cinco vezes alternadamente. Segundo o TJ-RJ, o STF, no julgamento do RE 881.864, em decisão da qual não cabe mais recurso, reconheceu o Sport como vencedor do Brasileiro de 1987. Dessa forma, o Flamengo não teria direito à taça.

O ministro Dias Toffoli lembrou que, no julgamento desse recurso, a 1ª Turma do STF manteve decisão da Justiça Federal de Pernambuco que havia proclamado o Sport campeão de 1987 e ratificado o entendimento de que a resolução da Confederação Brasileira de Futebol de 2011 que declarou também o Flamengo como vencedor do torneio ofendeu a autoridade da decisão daquela corte. Assim, a Taça das Bolinhas foi entregue ao São Paulo (campeão brasileiro em 1977, 1986, 1991, 2006, 2007 e 2008).

O relator observou ainda que não é possível analisar as alegações do Flamengo, pois as Súmulas 279 e 454 do STF não permitem reexame de prova nem interpretação de cláusulas contratuais em recurso extraordinário. Com informações da assessoria de imprensa do STF.

Continue lendo

Destaques

Julgamento do caso Gabigol é marcado; atacante vai à Suíça participar

publicado

em

por

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) agendou o julgamento do caso Gabigol, relacionado a uma possível tentativa de fraude em exame antidoping, para o dia 7 de junho. Em março, o atacante do Flamengo foi suspenso por dois anos pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD), mas recorreu ao tribunal internacional e conseguiu um efeito suspensivo no final de abril.

A informação foi inicialmente divulgada pelo jornalista Venê Casagrande e posteriormente confirmada pelo ge, que descobriu que Gabigol viajará para a Suíça para participar pessoalmente do julgamento. No entanto, sua viagem não resultará em sua ausência nos jogos do Flamengo no início de junho: o clássico contra o Vasco no dia 2 e a partida contra o Grêmio no dia 13.

O CAS, que é a última instância no esporte, decidirá se Gabigol será absolvido ou se sua suspensão será mantida até abril de 2025. Tanto o Flamengo quanto a defesa do jogador estão otimistas após o pedido de efeito suspensivo ter sido aceito por unanimidade, com decisão tomada por dois ingleses e um suíço.

Detalhes do caso Todo o processo no CAS gera custos judiciais, que devem ser divididos entre as partes. Na segunda quinzena de abril, a defesa de Gabigol foi informada de que a ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem) não havia pago sua parte das custas judiciais. Para evitar atrasos, o jogador arcou com a quantia pendente.

Dias depois, a ABCD enviou sua parte da documentação e indicou um árbitro alemão. No entanto, essa documentação foi rejeitada pelo CAS por questões administrativas, resultando na perda do direito da ABCD de indicar o árbitro para compor o tribunal.

Assim, o CAS selecionou dois dos três árbitros que analisaram o pedido de efeito suspensivo. A mesa foi composta por um inglês indicado pela defesa de Gabigol, além de outro inglês e um suíço indicados pelo tribunal. Os três votaram a favor do efeito suspensivo para o atacante, que agora aguarda a decisão final sobre o recurso.

Na argumentação enviada ao CAS, a defesa destacou o “periculum in mora” (perigo da demora) e o “fumus boni juris” (aparência do bom direito). O principal pedido foi pela análise rápida do processo, pois qualquer demora poderia resultar no cumprimento parcial ou total da suspensão imposta a Gabigol.

Além disso, o escritório Bichara e Motta mencionou que o julgamento de Gabigol no TJD-AD foi apertado, com cinco votos a favor da suspensão e quatro contra. O documento também contém outros argumentos que antecipam as razões que a defesa utilizará no recurso, buscando a anulação da suspensão.

Continue lendo

Destaques

Flamengo garante premiação pela classificação às oitavas da Copa do Brasil

publicado

em

por

Na noite desta quarta-feira, o Flamengo venceu novamente o Amazonas por 1 a 0 na Arena da Amazônia, com gol de Pedro, garantindo assim sua vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. Com a classificação, o clube receberá R$ 3,465 milhões em premiação, somando um total de R$ 5,670 milhões até o momento.

As oitavas de final da Copa do Brasil estão programadas para as semanas dos dias 31 de julho e 7 de agosto, com os confrontos sendo definidos em sorteio pela CBF, em data a ser anunciada.

Com a suspensão do Campeonato Brasileiro por duas rodadas, o Flamengo só volta a campo na próxima quarta-feira, pela Conmebol Libertadores, enfrentando o Millonarios no Maracanã, às 21h (horário de Brasília), em busca da classificação para as oitavas de final.

Confira abaixo os valores da premiação da Copa do Brasil 2024:

  • Primeira fase: R$ 1,47 milhão (Série A), R$ 1,312,5 milhão (Série B) e R$ 787,5 mil (demais clubes);
  • Segunda fase: R$ 1,785 milhão (Série A), R$ 1,47 milhão (Série B) e R$ 945 mil (demais clubes);
  • Terceira fase: R$ 2,205 milhões;
  • Oitavas de final: R$ 3,465 milhões;
  • Quartas de final: R$ 4,515 milhões;
  • Semifinais: R$ 9,45 milhões;
  • Vice-campeão: R$ 31,5 milhões;
  • Campeão: R$ 73,5 milhões.
Continue lendo

Destaques